Itapiranga/SC - Segunda-feira, 18 de Janeiro de 2021
www.oestemania.net
Próximos eventos e coberturas fotograficas
Itapiranga/SC
O tempo agora


25 de novembro de 2020

Vídeo; Incêndio florestal na Argentina está fora de controle

O incêndio florestal de Virasoro está fora de controle: “Você só pode tentar pelo menos não avançar nas áreas urbanas”, disse o diretor florestal de Corrientes.

 

CORRIENTES ARGENTINA

Com uma temperatura de 40 graus e ventos de mais de 50 quilômetros por hora, é impossível controlar o incêndio florestal que começou segunda-feira em Gobernador Virasoro. “Temos mais de 100 brigadas e bombeiros trabalhando no território, além de três hidrantes para apagar as chamas. Uma unidade do Plano Nacional de Gestão de Incêndios e dois hidrantes contratados pela empresa Forestal Bosques del Plata ”, afirmou o diretor provincial de Recursos Florestais de Corrientes, Roberto Rojas.

Em Virasoro, foram destruídos mais de 16 hectares de campos, estimando-se cerca de 4 mil hectares de arborização. Ontem o governador de Corrientes, Gustavo Valdés, teve que suspender sua visita a Santa Rosa. Mocoretá, Bella Vista, Itatí e outras nove comunas também foram afetadas pelo incêndio.

Na cidade de Corrientes, eles enfrentam dois focos principais, um na área de Villa Corina, próximo às áreas urbanas; e o mais difícil de combater começou na zona de Galarza, onde já se espalhou por milhares de hectares de plantações florestais, ervas, zonas rurais, pastagens e zonas húmidas.

“Estamos processando todas as informações e monitorando online o andamento dos incêndios ou a extinção de alguns focos menores, com pessoal do território que nos comunica sobre os dados que estão sendo gerados. Ainda não podemos dar relatórios oficiais de danos, pois tudo evolui em poucos minutos. A situação é complexa, o fogo está descontrolado até agora ”, admitiu o responsável.

Este ano, de acordo com o último relatório do governo provincial, de outubro passado, foram mais de 700 mil hectares afetados pelas queimadas no total, entre campos produtivos, áreas rurais, pastagens, reservas de mata nativa e plantações florestais.

“Na arborização tivemos um número de 3.200 hectares de plantações afetadas pelo fogo este ano, mas sem dúvida esse número mudará devido aos danos dos incêndios que estão sendo combatidos em Virasoro neste momento”, disse Rojas.

A província de Corrientes estabeleceu por lei que a queima e o uso do fogo no território são realizados exclusivamente com autorização do órgão competente. “Há várias semanas essas autorizações estão suspensas, não há autorização de queima de qualquer espécie, portanto, está determinado que o início do incêndio se deve a negligência, acidental ou com intenção de queimar, mas sem qualquer permissão. . O local de origem do incêndio em Virasoro é um sector de vértice, partilhado com vários produtores que efectuam a extracção da resina e trabalhos de extracção para a colheita das toras, pelo que ainda não foi possível estabelecer como ou quem o iniciou. No momento estamos comprometidos em controlar a emergência do avanço do fogo, e as responsabilidades serão apuradas posteriormente ”,

“Infelizmente, ontem em Santa Rosa prenderam um dono de serraria que queimava resíduos. É irresponsável quando toda a mídia e todos os canais pedem que não queime, mesmo com o fogo descontrolado em Virasoro. Não se deve chegar a esta situação de ter que deter uma pessoa por irresponsabilidade, mas não há outra ”, disse o responsável de Corrientes.

As atuais condições climáticas, com a estiagem prolongada, levaram à falta de prevenção em uma dezena de focos de difícil controle na região.

As chuvas são esperadas para quinta ou sexta-feira na zona, única esperança que permitirá acalmar a intensidade das chamas e a sua propagação acelerada em Virasoro. As perdas econômicas de empresários florestais e pecuários serão de milhões, avançaram diferentes fontes.

 

Primeira prisão em Santa Rosa por uso de fogo em condições críticas de alerta

Como parte dos incêndios que atingiram a cidade de Santa Rosa desde segunda-feira, o proprietário foi detido ontem em uma das serrarias daquela cidade. É sobre um homem identificado como Gilberto Fernández. A medida foi ordenada pelo Promotor de Instrução de Santa Rosa, Carlos Daniel Lezcano, pela decisão do empresário de iniciar a queima de resíduos de madeira, apesar de a Diretoria Florestal de Santa Rosa ter emitido um alerta no dia anterior para o condições do tempo.

Em diálogo com o jornal El Litoral, o diretor da Forestoindustria do Município de Santa Rosa, Oscar Taffarel, indicou que “desde a área emitimos um alerta ao setor industrial sobre as condições climáticas que prevaleceriam hoje (ontem) para a nossa área , alerta para altas temperaturas e presença de ventos fortes. Porém, alguns ignoraram as recomendações e por volta das 9h30 encontramos uma serraria pegando fogo, aparentemente devido à queima de resíduos ”, disse. Nesse sentido, ele acrescentou que “o incidente ocorreu em uma área próxima a onde outras serrarias haviam queimado em outubro”, explicou.

Taffarel indicou que “pelo que aconteceu anteriormente, pudemos agora atuar com um pouco mais de experiência e coordenação e por isso não houve danos a terceiros, e nas demais serrarias afetadas não houve perda de maquinários importantes além de alguns danos materiais”.

Nesse contexto, informou que foi o Ministério Público local que agiu de ofício e prendeu Fernández, que ontem ao final desta edição ainda estava atrasado na Primeira Delegacia.

Deixe seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

voltar

Últimos vídeos

Watch this video on YouTube.

Watch this video on YouTube.

JACARÉS E SECA NO PANTANAL
Watch this video on YouTube.

Um ano de tragédia no Rio Urugua...
Watch this video on YouTube.

Nova rota para a travessia do Ri...
Watch this video on YouTube.

Chuva de granizo em Curitiba Par...
© Copyright 2019